quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

As esquinas da utopia...

Hoje é natal... É preciso dar um tempo nas pautas da nossa vida cotitiana, mas não convém deixar de fazer algumas reflexões sobre os caminhos que traçamos para a humanidade. Esse é um momento de se perguntar "como foi o meu ano", mas também de se perguntar "para onde a nau terrestre caminha". Portanto, como contribuição à essa reflexão, aqui vai um poema que escrevi em 2005. Abraço a todos, e um Feliz natal!


As esquinas da Utopia
Mirgon Kayser Junior

Nas esquinas da utopia,
Semáforos e carros.
À distância,
Uma escola.
Através das janelas,
Crianças brincando e aprendendo.

Nas esquinas da “vida real”,
Longe das utopias,
Bem de perto,
Semáforos e carros.
Em cada semáforo,
Crianças malabaristas driblando a miséria.

Nas esquinas da utopia,
Cores e flores.
Amigos e amores.

Nas esquinas da “vida real”,
Flores de plástico e paredes cinzentas.
Consumidores e concorrentes.

A quem interessa essa “vida real”?
A quem mente ao povo.
A quem o explora.
A quem o oprime.
A quem o reprime.

À burguesia!
Só a ela interessa
Esse mundo fétido
De suas vidas,
Tão podres quanto vazias!

Ao povo interessa
Lavrar a vida,
Derrubar as cercas,
Repartir o pão.

Para isso,
Renovar esperanças!
Empunhar bandeiras!
Em cada esquina,
Semear a utopia!

1 comentários:

Rossana disse...

Amei esta poesia. linda ...

26 de dezembro de 2008 00:18

Postar um comentário