quarta-feira, 17 de novembro de 2010

ONDE JÁ SE VIU, POBRE COM CARRO?

Quando eu penso que já li todo tipo de manifestação preconceituosa, quando eu penso que algumas afirmações e pensamentos foram sepultados à outros tempos e que já não fazem mais parte do nosso cotidiano, surge alguma mente "brilhante" para mostrar o quanto estou errado e sou excessivamente otimista.

Existe uma ideologia de direita em franca expansão de forças no Brasil, algo nazista, algo fascista, algo medieval. Não é uma ideologia nova, pelo contrário, sempre esteve presente em solo brasileiro, trazida pelas caravelas de Cabral. Sofreu vários revezes, como a abolição da escravatura - mas conseguiu manter o pensamento escravagista! - e o permanente avanço em conquista de direitos de todos os setores da sociedade - alguns mais outros menos - mas nunca morreu de fato, sempre esteve alí, ardilosa, compondo e recompondo-se de várias maneiras.

Mesmo durante o século XX, apesar dos avanços dos direitos humanos e outras "bobagens", ela manteve-se fortalecida, tão fortalecida que não foram poucas as vezes em que ouvi que o Brasil era uma terra "abençoada, livre de preconceitos, de povo unido"... Efeito de uma ideologia dominante que disfarça-se ao povo como "comportamento natural". Lula, o operário ignorante que não sabe falar inglês e virou presidente do Brasil foi o "start" da saída dessa ideologia da inércia.

Distribuição de renda, política externa soberana, retirada de milhões de brasileiros da faixa da miséria, fim do "bolsão reserva" de força-trabalho com o maior índice de empregabilidade da história, redução do déficit habitacional, elevação do povo brasileiro à condição de consumidor e senhor de seu destino, tudo isso ao longo dos 8 anos de governo Lula, foram quase insuportáveis aos "iniciados" dessa grande ideologia.

Basta ver o que foi toda a campanha de José Serra, grande trincheira para tentar derrotar os miseráveis que tiveram a ousadia de "dilapidar" o Estado feito para servir a poucos e reconstruí-lo de maneira a servir a todos. A vitória de Dilma só serviu para que os raivosos - e mais descerebrados - como a Mayara viessem a tona expondo visceralmente o pensamento por trás do discurso perigoso da direita.

O comentarista da RBS TV em Santa Catarina, Luiz Carlos Prates, acusou os pobres - ou miseraveis como ele se refere - de serem os grandes culpados pela mortandade nas estradas. Para Prates, pobre não deveria ter carro. Prates só esquece de comentar que os carros que circulam nas estradas em velocidades de 140, 180 - até 200km/h - não são os pobres com seus populares 1.0. Eu desafio esse - perdão aos meus leitores pelo termo pouco usual em meus textos - verdadeiro imbecil a provar suas palavras.

É possível perceber na matéria a forma odiosa com que ele se refere aos "miseráveis" - chegando a dizer veladamente que pobre é infeliz no casamento e o rico não é. Aham, senta lá, Cláudia... Luiz Carlos prates é mais um dos truculentos canalhas colocados para incitar o ódio de classe na sociedade.

Qual a reação de quem acompanha e dá crédito às suas insanidades? Espanca mendigos, queima índios e não perderá uma oportunidade sequer de ver um miserável sendo "colocado no seu lugar".

Afinal, pobre não vive, sobrevive. Pobre deve existir para servir aos ricos, não para fazê-los perder tempo na fila do, por exemplo, posto de gasolina. Pobre deve servir para limpar o corredor das universidades, não para estudar nelas. Pobre deve educar bem seus filhos para que possam seguir sendo úteis aos filhos dos ricos, educados para saberem-se superiores aos do "nível de baixo".

Ora essa! Se não temos mesmo de concordar com Prates de que esse Lula protagonizou mesmo um governo espúrio, afinal, onde já se viu popularizar o consumo, dar crédito barato e fácil? Ah, se os tempos fossem outros... 

Palavras não são suficientes, é preciso ver e ouvir os absurdos ditos pela RBS TV na interpretação de seu comentarista:



Preparem-se: Esse é só o começo de uma profunda ofensiva desses setores da direita que não se conformam com o avanço social, que não se conformam com a derrota de suas ideologias miseráveis e preconceituosas.

O que vamos enfrentar no próximo período é uma luta ferrenha para trazer de volta o atraso, o preconceito, a segregação, o Brasil das elites, o Brasil dos porões abarrotados de negros, gays, índios, pobres, loucos e todo aquele que não seja digno da corte. O que vamos enfrentar no próximo período será o levante dos poderosos.

É possível que nos "enquadrem" no "nosso lugar" mais uma vez. Mas se não o fizerem, se pudermos segurá-los, então talvez tenhamos a oportunidade de conhecer de fato um mundo melhor.

8 comentários:

Denise do Amaral disse...

Mirgon seu texto está excelente . O que esse homem fala não é só preconceito , é total desinformação do que ocorre em volta dele . Como vc bem colocou, os carros que andam à mais de 100km das estradas causando acidentes graves não são os dos "pobres" ... E será que só tem direito a ter carro , quem pode pagar um importado e blindado ? Na realidade a posição deste senhor ultrapassa a questão política ... Ele é um ser ignorante mesmo, precisando de informação pra deixar de sê-lo .

17 de novembro de 2010 22:45
Anônimo disse...

melhor que pobre com carro é pobre com moto, morre sozinho. Pobre com carro morre endividado. hahaha.

17 de novembro de 2010 23:15
Fê Lopes. disse...

Ele não é um ser ignorante, ele é um ser desprezível. Alguém tão preconceituoso, arrogante, da mesma árvore genealógica de Hitler, Mussolini e tantos outros nazi-facistas... É um desequilibrado levando ódio ao invés de informação.Isso, pra não fazer toda a análise fenomenológica que esse desabafo merece. Quem será o verdadeiro frustrado? Chamar esse charlatão de jornalista é que é um crime!!!

17 de novembro de 2010 23:25
Renata disse...

Realmente não entendo como alguem pode falar isso?!

18 de novembro de 2010 01:31
Anônimo disse...

O meu conceito de "idiota" é mais ou menos este...

18 de novembro de 2010 08:57
IVANCEZAR disse...

Não é em vão que o DEM e SERRA venceram as eleições em SC ..... Interessante que esses sujeitos jamais se reportam aos adolescentes ricos que dirigem sem habilitação e aos jovens filhos de empresários que dirigem drogados e/ou bêbados . Interessante que quando "moços" de classe média alta patrocinam crimes bárbaros, inclusive estupros , não se manifestam esses "senhores feudais do jornalismo" ....

18 de novembro de 2010 13:54
Vítor Moreira disse...

Seria cômico se não fosse tragico! Deu até pra rir um pouco, o "É ISSO!" no final com cara de quem disse a maior verdade do mundo é muito engraçado, mas também é revoltante.

18 de novembro de 2010 17:24
Anônimo disse...

Mais absurdo que os comentários de Luiz Carlos Prates é o fato de a RBS, filiada da Globo em Santa Catarina, dar espaço a um "jonalista" dessa categoria. Sendo assim, a Globo e a RBS são responsáveis também pelas odiosas idiossincrasias do aludido palerma.
Não é o primeiro comentário infeliz e nem será o último se a mídia continuar a dar espaço a esse bobalhão.
Santa Catarina é um estado belo por sua própria natureza e por sua gente formada pela mistura de raças, culturas e classes sociais, seu povo é lutador e trabalhador. Esse idiota do Prates não é catarinense, nem digno para ter cadeira cativa no jornal exibido para os barriga-verdes.
Entre as inúmeras críticas endereçadas a Luis Carlos Prastes na Web, cito o "Tijoladas do Mosquito" cujo endereço eletrônico é:

http://www.tijoladas.info/hoje-vou-escrever-um-pouquinho-sobre-o-canalha-o-fascista-o-nazista-o-lambe-botas-da-ditadura-militar-o-informante-da-policia-politica-dos-orgaos-de-repressao-da-policia-politica-da-ditadura-mili/

19 de novembro de 2010 03:42

Postar um comentário