sábado, 26 de fevereiro de 2011

MOTORISTA ATROPELA 15 CICLISTAS EM PORTO ALEGRE - DE PROPÓSITO

A barbarie demonstrou toda sua força hoje na Cidade baixa, bairro de Porto Alegre. Um motorista insano atropelou, gratuita e deliberadamente, um grupo de pelo menos 15 ciclistas na rua Luiz Afonso, esquina com a José do Patrocínio.

Segundo relatos, o motorista sentiu-se "incomodado" com o fato de ter percorrido cerca de 100 metros em velocidade reduzida, atrás dos ciclistas. Ao chegar a esquina acelerou contra o grupo de ciclistas atingindo pelo menos 15 ciclistas e fugiu do local. Para ter-se idéia da extensão da quase-tragédia, foram utilizadas nada menos do que 5 ambulâncias para socorrer os feridos.

Felizmente o motorista já foi identificado pela Brigada Militar e encontrá-lo é só questão de algumas horas - se tanto. A barbarie desse episódio beira a ficção. Hoje pela manhã, de tudo que poderia acontecer, quem de nós poderia imaginar que ao final da tarde um louco atropelaria 15 ciclistas por pura raiva?

Episódios como este falam muito sobre nós mesmos. Não vou filosofar sobre isso. Apenas deixar uma proposta de reflexão: Quantas parcelas de cada um de nós ajudaram a acelerar aquele carro?

E para que não se isentem outros culpados: ex-prefeito José Fogaça, não pense que o senhor também não acelerou aquele carro. Prefeito Fortunati, até quando Porto Alegre permanecerá sem ciclovias?

1 comentários:

Lu disse...

Isso parece uma transição para o mundo material da mentalidade da "carteirada": o que essas bicicletas estão fazendo no caminho do meu carrão? Quem elas pensam que são? Dúvido que tenha pensado em termos de seres humanos passeando de bicicleta. Ou ele estava com raiva por alguma contrariedade passada? Dá no mesmo - simplesmente tinha alguma coisa no caminho DELE, que ELE simplesmente tirou! Assim, banal.

Acho sim que precisamos estar atentos aos sentimentos que podem gerar esse tipo de atitude. Deixar correr solto o preconceito, o se dar muita importância, o sentir-se superior, podem ter sido a raiz do sentimento que culminou nessa loucura. Acho que agora ele vai começar a pensar.

Penso que as ciclovias são importantes por n motivos, passou da hora de ter em todas as partes do mundo, mas para esse tipo de mentalidade, elas não teriam função, pois eles derrubariam um muro de aço para se prevalecer, em qualquer situação.

26 de fevereiro de 2011 04:50

Postar um comentário