sábado, 7 de agosto de 2010

CUIDADO: LOJAS AMERICANAS E MAGAZINE LUIZA PODEM TE ROUBAR!

Um tempo atrás escrevi um texto denunciando a covardia das Lojas Americanas e Magazine Luiza no trato com idosos, ao oferecer-lhes produtos de crédito com os quais não estão familiarizados e esconder-lhes informações sobre esses produtos (leia esse texto aqui).

Tanto as Lojas Americanas quanto o Magazine Luiza possuem cartões de crédito "próprios", que não são tão próprios assim. Na realidade essas lojas terceirizam seus cartões para bancos como Itaú (no caso das Americanas) , por exemplo.

O que se configura, na prática, é que o consumidor pensa que adquiriu o produto de um fornecedor - no caso o cartão das Lojas Americanas - mas na realidade ele comprou um serviço bancário sem saber, sem autorizar, sem jamais ter tido qualquer relação com o agente bancário.

Pior que isso, essas lojas lesam CRIMINOSAMENTE seus clientes, uma vez que deliberadamente escondem o contrato bancário, assim como sonegam dos clientes as taxas de manutenção do cartão - ou mesmo as taxas de utilização do cartão.

Estou reescrevendo essa denúncia devido ao depoimento que recebi de um funcionário das Lojas Americanas. O funcionário - evidentemente - não quis identificar-se, tanto por medo de perder seu emprego, como por medo de ser inserido nas famosas "listas negras" do comércio, aquelas listas não-oficiais onde são "fichados" os trabalhadores que contrariam o interesse de seus patrões - ou os colocam na justiça em busca de seus direitos.

O leitor do blog diz o seguinte em seu depoimento:

"(...) TEMOS SIM QUE ESCONDER ALGUMAS INFORMAÇOES PARA AS PESSOAS PARA ELAS ACEITAREM O CARTAO. DIGO ISSO POR QUE SOU UM FUNCIONARIO DE UMA DAS LOJAS AMERICANAS."

Entre outras informações que são sonegadas pelos funcionários são as taxas de manutenção e de utilização do cartão. Aliás, os funcionários não só sonegam, como são obrigados a mentir que não existem taxas, cobranças extras, etc...

Em período eleitoral eu finalizo repetindo aquilo que cobrei de deputados federais e senadores no primeiro texto que tratei do assunto: "O abuso que as financeiras cometiam contra os aposentados nos empréstimos consignados agora está migrando para os cartões de crédito, usando as grandes redes lojistas como biombos - e essas grandes redes aproveitam para lucrar nas costas dessa relação promíscua.

Fica a pergunta: Quando o parlamento tomará atitude para moralizar e proteger a população desse tipo de desrespeito e estelionato? Quando essa prática receberá regulamentação mais rígida?"

2 comentários:

Dr. Alex Mendes disse...

Infelizmente esta prática é adotada em praticamente toda a rede de lojas de grande porte, a justiça deve coibir esta prática através dos Procons, e fazer valer o Código de Defesa do Consumidor!

7 de agosto de 2010 16:46
Ana Paula disse...

Bom, todo cartão de crédito é emitido por uma instituição financeira, como no caso das Americanas, Banco Itaú, Supermercados Nacional - Fininvest, e assim por diante.

Eu utilizo os cartões de crédito Americanas, e li o contrato que está disponível na hora de pedir o cartão, e hoje no site do banco pelo qual acesso a fatura e o contrato também o tenho disponível.

Os empréstimos consignados são uma liberdade para quem é funcionário público ou pensionista INSS, TODOS sabem que crédito tem preço, tem valor, porém as pessoas precisam estar atentas as taxas cobradas.

Quando um funcionário diz que está 'escondendo' informações, na verdade a loja precisa vender, não está informando as taxas absurdas e abusivas cobradas por atraso ou em caso de pagamentos mínimos no dia do vencimento. É a mesma coisa que um vendedor que QUER e PRECISA vender,dizer ao cliente que ele não deve comprar a prazo pq vai gastar MUITO mais, sabendo que essa é a única forma da venda ser efetivada, então ele OMITE essa informação.

Oras, a financeira não vai até a casa do cliente para oferecer crédito, o cliente não vai forçado pedir empréstimo,é tudo de livre e espontânea vontade, antes de comprar esse produto ele é informado do valor da parcela e taxas de juros no contráto que assinará, e que DEVERÁ ler.

Não concordo com a afirmativa de que isso seja um roubo ou assalto legalizado, as pessoas é que devem procurar se informar sobre aquilo que está comprando, isso SEMPRE foi assim.

Com a informação chegando cada vez mais fácil para as pessoas, é inadmissível dizer que quem faz uso destas formas de crédito não seja informado diariamente sobre o perigo de consumi-las.

Não sou uma instituição financeira, não vendo esses produtos, mas faço uso deles, mas eu sei do RISCO que corro pq me informo , pq não compro no escuro, e também que não posso gastar mais do que ganho.

Quando uma pessoa se sentir lesada deve correr atrás do seus direitos, ir ao PROCON, recorrer à Justiça, mas também há do consumidor ser mais responsável na hora de consumir.

7 de agosto de 2010 18:27

Postar um comentário